The Rover – A Caçada (2014)

PHOTO: Matt Nettheim

“The Rover” é um daqueles filmes para se assistir sozinho. Não que ele tenha cenas fortes de sexo ou violência muito absurda. Muito pelo contrário, é um filme bem parado se comparado às atuais tentativas de entretenimento na sétima arte. Nele nós não temos Megan Fox e certamente não temos Sylvester Stallone. Apesar de não ser um blockbuster, temos diante de nós um verdadeiro filho do cinema ozploitation(1).

É impossível tecer um comentário sobre o maravilhoso “The Rover” sem o relacionarmos ao seu pai não-assumido, “Mad Max”. Ambos os filmes se passam em um tempo pós-apocalíptico em que as pessoas vagam pelo deserto da Austrália. Ambos possuem cenas e enquadramentos visando a percepção de alta velocidade. Em ambos temos um personagem principal perturbado pelo caos que o mundo está imerso.

Em “The Rover” uma gangue abandona Rey (Robert Pattinson), um garoto com um leve retardo mental, quando cometem um roubo que termina em um tiroteio. Ao capotar o carro em que estão fugindo, a gangue tem a infelicidade de roubar o carro de um homem que está observando tudo de dentro de um bar no fim do mundo (Guy Pearce). Esse misterioso homem-sem-nome fará de tudo ao seu alcance para recuperar o carro. Durante a caçada, acaba, por acaso, se juntando a Rey que o conduzirá até a gangue. Na cena final do filme compreendemos a real importância que o carro tem ao personagem de Guy Pearce.

Qualquer filme rodado no deserto da Austrália tem grandes chances de ficar pelo menos com a fotografia boa. Não é diferente nesse. Apesar de ser extremamente escuro, “The Rover” tem aquela rara habilidade de ser um drama do apocalipse. A busca do homem pelo sentido após o mundo entrar em um colapso que não é explicado (a história se passa 10 anos após o colapso). Atuações maravilhosas e direção de tirar o fôlego (David Michôd).

O Apocalipse em que o mundo vira um deserto com um bando de gente psicótica vagando por ele certamente é o meu favorito na sétima arte.

—–

GLOSSÁRIO:

(1) OZPLOITATION: Cinema australiano de baixo orçamento (geralmente dos gêneros horror e/ou ação) produzido principalmente nas décadas de 70 e 80. Também era chamado de cinema New Wave Australiano. Grande parte são filmes que exploram elementos como violência e/ou sexualidade. Os famosos “proibido para menores” ou Rated R. Encontramos como exemplos “Mad Max” e “Razorback” (o javali gigante assassino, sim!). Caso queira saber mais sobre o ozploitation, recomendo o documentário “Além de Hollywood: O Melhor do Cinema Australiano”. Você pode assisti-lo de graça e legendado clicando aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s