A Arma é boa, o Pênis é mau.

zardoz_hartter_by_hartter-d5smjcc

Sempre que eu assisto um filme digno de análise eu dou um passeio pela internet procurando ler o que outros críticos acharam do filme antes de começar a escrever qualquer coisa. Via de regra encontro críticas bem semelhantes às minhas e de quebra algum review mais profundo com referências que eu não tinha antes. Para minha surpresa, com Zardoz (1974) a situação foi completamente diferente. Se jogar o termo no Google verá que 99% da internet classifica o filme como um dos piores já feitos. Fiquei impressionado ao ver várias pessoas reduzindo o filme à sua estética. Antes de dizer porque gostei dele, vamos à sinopse:

Na Irlanda de 2293 o mundo vive uma distopia pós-apocalíptica. A sociedade f6170885829_e655ca6dc3_boi dividida entre os Eternos (imortais) e os Brutos (mortais). Os eternos vivem reclusos no Vortex, uma espécie de proto-paraíso inalcançável aos Brutos, mas sempre prometido como galardão aos mesmos. Há um grupo de Brutos chamados Exterminadores e ele adoram um deus chamado Zardoz que se manifesta sob a forma de uma cabeça de pedra voadora. O deus de pedra ordena que eles exterminem todos os que não forem os escolhidos para que a terra, assim, seja purificada da maldade humana. Zed (Sean Connery) é um Exterminador que consegue se esconder dentro da cabeça de pedra e adentra de maneira clandestina a região elísea do Vortex. Lá ele terá a chance de desvendar a verdade a respeito dos Eternos de uma vez por todas.

Gostaria de começar essa crítica dizendo que Zardoz tem uma estética ridícula, sim. Não nego isso. Sean Connery de trancinha, peito cabeludo, sunga vermelha e bota o filme inteiro. Não apenas isso é risível no filme, mas vários diálogos e cenas parecem ter sido escritos por uma criança mimada. Contudo, ressalto que se você olhar atentamente verá que a estética ridícula tem um propósito muito claro em Zardoz e esse detalhe é o que faz com que o filme seja uma obra prima da distopia.

Com 30 minutos de filme você tem a nítida impressão de que por trás daquela papagaiada toda está acontecendo algo muito sério e distópico com a humanidade. Zardoz vomitando armas para os exterminadores depois de dizer “A arma é boa, pênis é mau” é uma das cenas mais intrigantes que já vi no cinema. Uma vez que Zed chega a Vortex as coisas pioram muito ao conviver com os Eternos. Ele começa a ver a ânsia deles por uma morte inalcançável. A imortalidade lhes mata de tédio. Não apenas isso, são incapazes de reagir a estímulos sexuais por estarem há séculos vivendo como imortais que não precisam se reproduzir. Não preciso nem dizer o que o contato de Zed causa aos Eternos. Algumas cenas são bem NSFW (Not safe for work) e meu conselho é que não assista esse filme com outra pessoa ao lado. É uma experiência tão individual que vale a pena ver sozinho para não passar raiva (ou constrangimento, vai saber).

A fotografia não é de se jogar fora e a direção de John Boorman impecável. A atuação de Sean Connery é excelente e contamos com a talentosa e lindíssima Charlotte Rampling.

Em resumo, Zardoz não é nem de longe um filme ruim. Muito pelo contrário é um filme que é propositalmente desagradável esteticamente. O patético-desprezível é um elemento chave para se compreender o futuro catastrófico da humanidade. Como toda distopia, Zardoz não perdoa os erros humanos. Ele os expõe de maneira visceral e nós damos risadas e apontamos zombeteiros até nos vermos no reflexo da tv. É uma ótima piada até que você descubra que ela é sobre você.

Zardoz (1974) Directed by John Boorman Shown: Sean Connery
Zardoz (1974)
Dirigido por John Boorman

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s